Premiê da República Centro-Africana apresenta renúncia

País passa por uma grave crise financeira que o faz figurar entre os mais pobres do mundo

EFE

19 Janeiro 2008 | 06h23

O primeiro-ministro da República Centro-Africana, Elie Doté, e seu Governo apresentaram nesta sexta-feira sua renúncia ao presidente, François Bozizé, em meio a uma greve geral no país, informa a televisão nacional.   Segundo a cadeia nacional, o presidente aceitou a renúncia do primeiro-ministro e de todo o seu gabinete, para preservar a paz social, a coesão e a harmonia nacional.   O país vive imerso em uma crise com graves problemas na Administração e a paralisação das escolas públicas, devido à greve geral convocada pelos sindicatos, desde 2 de janeiro, pela falta de pagamento dos salários há sete meses.   Doté, primeiro-ministro desde 2005, anunciou sua renúncia quando o Parlamento preparava um voto de censura contra sua gestão. A renúncia do Governo acontece semanas antes da chegada de uma missão de paz da União Européia (UE), com desdobramento no norte do país para proteger os civis que fogem da violência da vizinha região sudanesa de Darfur.   A República Centro-Africana passa por uma grave crise financeira que a faz figurar entre os países mais pobres do mundo. Além disso, o país sofre com a insegurança em função dos grupos rebeldes assentados no noroeste do país e dos grupos armados.   Para tratar de remediar esta insegurança e reforçar a unidade do país, o presidente Bozizé, que assumiu o poder num golpe de Estado em março de 2003, tentou alcançar um diálogo político com todos os partidos, incluindo os da oposição, e com os grupos armados.   Segundo a televisão estatal, na próxima segunda-feira, a Presidência indicará em comunicado as medidas para tentar formar um novo Governo.

Mais conteúdo sobre:
República Centro-Africana

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.