Premiê de Israel demite 2 ministros

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, demitiu dois ministros de seu gabinete, abrindo caminho para o esperado anúncio de eleições antecipadas no país.

JERUSALÉM, Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2014 | 15h46

O escritório do premiê informou nesta terça-feira que ele ordenou a demissão do ministro de Finanças Yair Lapid, líder do partido Yesh Atid, e da ministra da Justiça Tzipi Livni.

Nas últimas semanas, a coalizão de governo tem apresentado divisões a respeito de questões importantes e Lapid e Livni vinham fazendo fortes críticas a Netanyahu.

O primeiro-ministro planeja fazer um discurso para todo o país ainda nesta terça-feira. Com o esfacelamento da sua coalizão de governo, a expectativa é que o premiê convoque novas eleições. Ele ainda teria mais de dois anos de mandato para cumprir.

Antes mesmo das demissões, a situação política já indicava a possibilidade de eleições antecipadas. Reunião realizada na noite de segunda-feira entre Netanyahu e Lapip não conseguiu resolver as diferenças entre as legendas.

Dois integrantes do partido de centro Yesh Atid, atual integrante da coalizão de governo de Netanyahu, advertiram que a votação pode acontecer num momento particularmente difícil. Meios de comunicação locais afirmam que é provável que o pleito aconteça em março.

Netanyahu "decidiu levar Israel a eleições desnecessárias na noite passada", declarou Lapid durante uma conferência econômica nesta terça-feira, acrescentando que, apesar da guerra de 50 dias contra militantes do Hamas, os problemas do país com os armamentos na Faixa de Gaza ainda persistem.

Lapid disse também que acredita que Netanyahu se virou demasiadamente para a direita ao impulsionar a construção de assentamentos judaicos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia e ao fracassar no avanço das negociações de paz com os palestinos.

"Netanyahu escolheu ir para as eleições num momento em que a situação é particularmente difícil", disse Yaacov Peri, ministro da Ciência que integra do Yesh Atid. "Há uma crise com os Estados Unidos e a situação da classe média está piorando."

O presidente do partido de Netanyahu, o Likud, Danny Danon responsabilizou "as palhaçadas amadoras de Yair Lapid" por "levar Israel a uma eleição antecipada, desnecessária e cara". Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.