Premiê de Israel diz que paz é improvável antes de 2012

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse à rede de TV americana Fox News ser improvável se chegar a um acordo de paz com os palestinos até 2012. "Podemos ter a paz negociada? Sim. Ela pode ser implantada até 2012? Acho que vai levar mais tempo do que isso", declarou, acrescentando que não acredita na fundação de um Estado Palestino antes desse período.

AE-DOW JONES, Agência Estado

11 de julho de 2010 | 18h25

"Acho que pode haver uma solução", disse. "Ela pode ser executada ao longo do tempo, porque o tempo é um fator importante para se chegar a uma solução, tanto em termos de disposições de segurança quanto em outras coisas (que dependem do tempo)."

Nos últimos dois meses, israelenses e palestinos têm se engajado numa série de "discussões de proximidade", com participação dos Estados Unidos, cujo enviado, George Mitchell, vem conversando com os dois lados. Mas Israel quer ter negociações diretas - um movimento apoiado publicamente pelo presidente americano, Barack Obama, quando se encontrou com Netanyahu em Washington, na semana passada.

Após o encontro, Obama garantiu ao presidente palestino, Mahmud Abbas, que se comprometeria com o estabelecimento de um Estado Palestino, de acordo com porta-voz de Abbas. Os palestinos definiram agosto de 2011 como uma meta para criação de um Estado, mais especificamente defendida pelo primeiro-ministro Salam Fayyad, que vem tentando construir as instituições de um Estado de facto.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.