Premiê de Israel pede sanções contra Irã em Moscou

O primeiro-ministro de Israel, Benjamim Netanyahu, disse hoje que pressionou pela tomada de "sanções severas" contra o Irã por causa do programa nuclear iraniano, durante sua reunião com o presidente russo Dmitry Medvedev. Netanyahu também elogiou o líder russo por demonstrar "compreensão" sobre a questão.

AE, Agencia Estado

15 de fevereiro de 2010 | 18h08

A reunião aconteceu poucos dias depois de o Irã ter anunciado que vai enriquecer seu urânio em níveis mais altos. Esse processo pode resultar em material para a fabricação de bombas se for levado adiante e alimentou a convicção israelenses de que o Irã pretende desenvolver armas nucleares.

"Eu expliquei nossa posição de que o que é necessário agora são sanções mais severas que sejam capazes de influenciar este regime. Sanções severas têm de incluir a importação e exportação de combustível", disse Netanyahu aos jornalistas após a reunião. "Eu percebi uma nível considerável de compreensão do presidente russo sobre os problemas que nos dizem respeito."

Israel considera o Irã como sua maior ameaça e lembra o apoio de Teerã a militantes árabes, as ameaças do presidente Mahmoud Ahmadinejad de destruir Israel e o programa nuclear iraniano. Israel tem estado na liderança dos pedidos de sanções e Netanyahu disse que elas podem ser efetivas, já que 80% da economia iraniana é baseada em energia. A Rússia tem resistido à imposição de novas sanções, mas vem mostrando crescente frustração desde a semana passada, quando o Irã revelou o enriquecimento de urânio apesar da pressão internacional.

Netanyahu disse ter percebido uma mudança da posição russa em suas conversas com Medvedev. "Eu posso dizer que a Rússia definitivamente compreende que há uma necessidade de evitar que o Irã obtenha armas nucleares e entende que medidas precisam ser tomadas", disse ele. "Eu acho que a Rússia compreende muito bem o direcionamento do Irã e está considerando o que fazer com outros membros do Conselho de Segurança (da ONU)."

O Irã já desafiou três grupos de sanções da ONU. A China, que depende do Irã para a compra de combustível, é o único país grande contrário a novas sanções.

Netanyahu descreveu sua reunião com Medvedev como calorosa e amigável e disse que os dois conversaram sobre projetos conjuntos dos dois países. Medvedev recebeu Netanyahu no Kremlin dizendo que a Rússia considera Israel mais do que apenas um parceiro comum. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrãRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.