Premiê de Portugal diz estar pronto para encerrar crise

O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, disse que seu governo está pronto para entrar em um acordo entre partidos para acabar com a incerteza política no país.

Agência Estado

12 de julho de 2013 | 08h56

Passos Coelho afirmou também que há sinais de que a economia do partido cresceu no segundo trimestre do ano após 10 trimestres seguidos de contração.

"Eu farei o que puder para não deixar a situação política do país se deteriorar", disse o primeiro-ministro em um debate parlamentar.

O presidente Aníbal Cavaco Silva surpreendeu o país na quarta-feira ao rejeitar a proposta de Passos Coelho de reestruturar seu gabinete para reparar uma ruptura na coalizão governante e manter seu governo no poder até o final de seu mandato, em 2015.

Ao invés disso, o presidente, que tem o poder de dissolver o parlamento e convocar eleições, pediu o que ele chamou de "pacto de salvação nacional" entre os três principais partidos do país - o Social Democratas, o parceiro menor CDS-PP e o opositor Socialistas - com novas eleições previstas para depois de meados de 2014.

O ministro das Relações Exteriores, Paulo Portas, pediu demissão na semana passada, levantando dúvidas sobre a capacidade de coalização continuar governando, porque Portas lidera o CDS-PP. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
PortugalpolíticacrisePassos Coelho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.