Premiê diz que China deseja paz com Taiwan

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, disse hoje que Pequim está preparada para manter conversas com Taiwan sobre temas políticos e militares a fim de encerrar as hostilidades entre os rivais de longa data e concluir um acordo de paz. Na abertura da sessão legislativa anual da Assembleia Nacional do Povo, Wen saudou a melhoria nos laços e uma grande redução nas tensões no ano passado. Pequim sustenta que a ilha faz parte de seu território. "Mudanças positivas ocorreram em Taiwan nas relações ao longo do estreito (de Taiwan, que separa a China e a ilha)", afirmou.Pequim está pronta para manter conversas para "criar condições para o fim do estado de hostilidade e concluir um acordo de paz", disse Wen. As relações bilaterais melhoraram muito desde que o presidente taiwanês Ma Ying-jeou tomou posse, no ano passado. O líder tem como plataforma reduzir as tensões com a China. Taiwan e a China se separaram em meio a uma guerra civil, em 1949. Pequim afirma que deseja uma reunificação, se preciso pela força.Já a população taiwanesa, de 23 milhões de pessoas, deseja manter a independência e suas liberdades democráticas conquistadas. Ma insiste que a decisão sobre o status final da ilha não será tomada durante seu mandato. Wen notou os crescentes contatos entre os dois lados, particularmente nas esferas econômica e financeira. No mês passado, funcionários disseram que Taiwan e China firmariam acordos para colaborar nos setores de finanças e redução do crime.

AE-AP, Agencia Estado

05 de março de 2009 | 11h58

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaTaiwandiplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.