Premiê diz que tomará a melhor decisão para Espanha

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse na noite de sexta-feira que o seu governo quer "meditar" sobre a possibilidade de pedir um resgate, mas que acabará por fazer o que é melhor para Espanha. "O financiamento barato e a disponibilidade de crédito são fundamentais. Sem isso, dificilmente haverá empregos, crédito e confiança. Nós vamos tomar a decisão que acreditamos ser a melhor para os interesses gerais da Espanha", informou Rajoy a repórteres no intervalo de um encontro entre países do sul da Europa, conforme mostrou um vídeo veiculado no site do jornal El País. Ele se reuniu com os líderes da França, Itália e Portugal, em Valeta, capital de Malta.

GABRIELA MELLO, Agência Estado

06 de outubro de 2012 | 11h26

O premiê espanhol também afirmou que há uma grande disparidade nas condições de financiamento na Europa. "Há países que se financiam gratuitamente, enquanto os outros pagam enormes quantias. É muito difícil investir e criar emprego quando a Espanha está se financiamento nos custos atuais", disse ele. Rajoy reiterou que o governo quer saber as condições de aceitar um suporte financeiro.

O BCE comunicou no mês passado que estava pronto para comprar títulos da dívida soberana de países com custos de empréstimo insustentavelmente elevados, mas acrescentou que não agirá até que os próprios governos peçam ajuda.

A expectativa é de que a Espanha eventualmente pedirá uma linha de crédito aos parceiros da zona do euro, o que ativará o programa de compra de bônus do BC europeu.

Neste sábado, Rajoy deve discursar em um encontro político na Galícia, noroeste da Espanha, onde seu partido político faz campanha para as eleições regionais de 21 de outubro. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.