Premiê do Egito pede calma às vésperas da eleição

O primeiro-ministro do Egito, Kamal al-Ganzuri, fez um pedido por calma nesta terça-feira, às vésperas da primeira eleição presidencial do país. Al-Ganzuri pediu às forças políticas que aceitem o resultado do sufrágio de amanhã e da quinta-feira. Treze candidatos concorrem à presidência egípcia.

AE, Agência Estado

22 Maio 2012 | 15h03

O premiê pediu aos egípcios que "fiquem juntos para garantir o sucesso do processo eleitoral e aceitem a decisão da maioria da população, que expressará sua vontade através das urnas". Em comunicado, ele expressou a esperança de que "as eleições serão conduzidas com calma" e pediu aos "candidatos, forças políticas e partidos que façam um apelo a seus partidários a respeitarem a vontade dos outros e a aceitar os resultados das eleições".

Cerca de 50 milhões de eleitores deverão escolher na quarta-feira e quinta-feira um novo presidente do Egito. Se nenhum dos 13 candidatos obtiver mais de 50% dos votos, ocorrerá segundo turno entre os dois mais votados em junho.

Os candidatos com mais chances são o ex-ministro das Relações Exteriores e ex-secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa; Ahmed Shafiq, o último premiê a servir durante o governo autoritário de Hosni Mubarak; Mohammed Mursi, candidato da Irmandade Muçulmana; e o independente islamita Abdel Moneim Abul Fotouh.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.