Premiê do Iraque fala de ataques sírios contra o Isil sem criticar

Maliki afirmou que não pediu à Síria para atacar os insurgentes, mas não reprovou ação do Exército no lado sírio da fronteira

O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2014 | 09h36

(Atualizada às 14h43) BAGDÁ - O primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, afirmou à rede BBC nesta quinta-feira, 26, que "recebe favoravelmente" os ataques realizados pelo Exército sírio contra insurgentes sunitas, mas afirmou que o seu governo não pediu que fossem realizados. A ofensiva contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isil, na sigla em inglês) ocorreu na terça-feira em território sírio, perto da fronteira entre os dois países.

Inicialmente, a BBC informou que Maliki tinha dito que o ataque ocorreu em território iraquiano, mas após rever a tradução, informou que ele disse "do lado sírio da fronteira."

Nesta quinta, os insurgentes assumiram o controle da cidade de Mansouriyat al-Jabal, que abriga quatro campos de gás natural operados por empresas estrangeiras, disseram fontes do setor de segurança.

A Presidência anunciou que o Parlamento realizará uma sessão em 1.º de julho, como primeiro passo para a formação de um novo governo que a comunidade internacional espera seja suficientemente inclusivo para minar a insurgência.

Além do Isil, outras organizações muçulmanas sunitas que acusam Maliki de ter marginalizado essa corrente do islamismo em seus oito anos no poder, fazem parte da insurgência que avança sobre cidades do Iraque. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
IraqueIsil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.