Premiê do Iraque pede redução de férias do parlamento

O primeiro-ministro do Iraque, o xiita Nuri al-Maliki, pediu para o parlamento cancelar ou encurtar o recesso de verão, em agosto, para aprovar leis consideradas vitais para a estabilização do país, disse seu gabinete. Washington vem pressionando o Iraque a acelerar a aprovação de diversas leis destinadas a conter a violência sectária e curar as profundas divisões entre a maioria xiita e a maioria sunita. Somente uma proposta, que trata das reservas de petróleo do Iraque, foi enviada, mas o legislativo ainda precisa debatê-la. O gabinete de Maliki disse em comunicado no fim de semana que o primeiro-ministro "espera que o parlamento tome a iniciativa e cancele suas férias de verão, ou reduza para duas semanas, para que possa ajudar o governo a resolver problemas importantes". O comunicado foi divulgado depois que Maliki encontrou-se, no sábado, com o embaixador dos Estados Unidos, Ryan Crocker, e com outras autoridades norte-americanas. "O progresso político tem que avançar. O governo precisa trabalhar com o parlamento para dar ao povo iraquiano alguma coisa nestes tempos difíceis", disse o comunicado. A proposta de lei do petróleo pretende aliviar a tensão, garantindo participação dos xiitas nos lucros do produto. O Iraque tem a terceira maior reserva de petróleo do mundo, mas a maior parte está no norte curdo, ou no sul, de maioria xiita. Outras leis, que estabelecem eleições nas províncias até o final deste ano e permitem que alguns membros do partido Baath, de Saddam Hussein, voltem ao governo e ao exército ainda não foram aprovadas. Mas o tempo do parlamento está terminando. Crocker e o comandante dos EUA no Iraque, o general David Petraeus, têm que apresentar um relatório a Washington até 15 de setembro sobre o progresso político e de segurança no país. O relatório é considerado um ponto político importante e a falta de ação em relação às leis certamente aumentarão os pedidos da oposição democrata e de alguns republicanos por uma retirada de tropas americanas do Iraque. O parlamento já reduziu suas férias de verão em um mês. O recesso foi programado para os meses de julho e agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.