Yoshinobu Shimizu/Kyodo News via AP
Yoshinobu Shimizu/Kyodo News via AP

Premiê do Japão defende diplomacia para desarmar Coreia do Norte

Shinzo Abe afirmou que 'é importante manter a paz' usando esforços diplomáticos e cobrou atuação de Pequim para restaurar estabilidade na região

O Estado de S.Paulo

17 Abril 2017 | 11h47

TÓQUIO - O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, defendeu nesta segunda-feira, 17, a diplomacia para se conseguir o desarmamento da Coreia do Norte, depois de o país vizinho realizar o lançamento fracassado de um míssil em plena escalada de tensão na Península Coreana.

"A Coreia do Norte está mostrando seu poder militar, mas é importante manter a paz através de esforços diplomáticos", afirmou Abe durante uma reunião do comitê de orçamento da Câmara Baixa do Parlamento ao ser perguntado por esse lançamento, segundo declarações divulgadas pela rede pública "NHK".

O chefe do Executivo japonês pediu a Pyongyang que evite realizar mais provocações e considerou que, além disso, "é necessário exercer mais pressão para que a Coreia do Norte responda seriamente ao diálogo".

Abe disse que para atingir estabilidade na região é necessário que Pequim, principal aliado de Pyongyang, faça uso de sua influência, para além de que Washington e Seul façam seu papel, e insistiu na ideia de buscar a cooperação da Rússia. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.