Premiê do Paquistão cancela ida à ONU por causa de inundações

O primeiro-ministro do Paquistão, Yusuf Raza Gilani, cancelou sua participação na Assembleia-Geral da ONU, na semana que vem, para poder supervisionar as ações do governo em reação à devastadora inundação no sul do país, disse seu gabinete nesta sexta-feira.

AUGUSTINE ANTHONY, REUTERS

16 Setembro 2011 | 09h01

As enchentes, causadas pelas monções, já mataram mais de 230 pessoas, destruíram ou danificaram 1,2 milhão de moradias e inundaram 1,8 milhão de hectares desde o final de agosto, segundo autoridades e grupos humanitários estrangeiros.

No ano passado, o presidente Asif Ali Zardari foi muito criticado por manter sua viagem à Grã-Bretanha e à França, enquanto o Paquistão enfrentava enchentes que mataram cerca de 2.000 pessoas e deixaram 11 milhões de desabrigados.

Uma fonte do governo disse à Reuters que o chanceler do país irá representar o Paquistão na Assembleia-Geral da ONU. "O primeiro-ministro vai visitar áreas afetadas pelas inundações a partir de amanhã, e supervisionar os esforços de auxílio."

Mais de 300 mil pessoas estão em abrigos. Cerca de 800 mil famílias atingidas pelas inundações do ano passado continuam desabrigadas.

(Reportagem adicional de Rebecca Conway)

Mais conteúdo sobre:
PAQUISTAO INUNDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.