Premiê é culpado por atividade anti-secular

Um tribunal da Turquia considerou ontem o primeiro-ministro Tayyip Erdogan culpado de envolvimento em atividades anti-seculares. Como punição, seu partido, AK, será multado. Erdogan também terá de trocar alguns membros de seu gabinete. Essa foi a primeira vez que um primeiro-ministro em funções é culpado por violar os princípios seculares do país, que tem maioria muçulmana. Entre as atividades consideradas anti-seculares está a tentativa do premiê de acabar com a proibição do uso do véu em universidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.