Premiê eleito diz que ilhas em disputa são do Japão

Shinzo Abe, que liderou seu Partido Liberal Democrata (PLD) à vitória nas eleições parlamentares deste domingo, disse que não dúvidas sobre a soberania do Japão sobre um conjunto de pequenas ilhas disputado pelo país e pela China. "A China está contestando o fato de que (as ilhas) são parte inerente do território japonês", disse Abe, que deve se tornar primeiro-ministro. "Nosso objetivo é acabar com essa contestação. Não pretendemos piorar as relações entre Japão e China."

Agência Estado

16 de dezembro de 2012 | 16h01

Os dois países disputam há décadas o conjunto de ilhas no Mar da China Oriental. A disputa se transformou em crise diplomática em setembro, quando o Japão nacionalizou as ilhas, conhecidas como Senkakus no Japão e Diaoyus na China.

Desde então, barcos chineses têm se aproximado das ilhas quase diariamente, e na quinta-feira Pequim enviou um avião para sobrevoá-las. Em resposta, o Japão enviou um caça para afastá-lo.

"Japão e China precisam reconhecer que boas relações são do interesse de ambos os países. À China falta reconhecer isso. Eu quero que eles pensem de forma diferente sobre relações estratégicas mutuamente benéficas", disse Abe.

Ele disse também que pretende reconstruir a aliança entre Estados Unidos e Japão. "A aliança Japão-EUA deve vir em primeiro lugar", disse em entrevista para a Nippon TV. Um tratado assinado após a Segunda Guerra permite que os EUA mantenham bases com milhares de soldados no país asiático. Esta aliança, no entanto, parece ter ficado à deriva nos três anos de governo do Partido Democrático do

Japão (PDJ).

Abe também falou sobre a necessidade de o Japão expandir suas relações com outros países na região. "Precisamos aprofundar as relações com a Ásia. Quero estabelecer relações com outros países, como a Índia e a Austrália. Depois de fortalecer nossa diplomacia, quero melhorar as relações com a China." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoChinailhas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.