Premiê espanhol convoca eleições gerais para novembro

Zapatero antecipou votação em quatro meses; espectativa é que oposição conservadora vença

Reuters

29 de julho de 2011 | 09h59

Zapatero, com baixos índices de aprovação, anunciou que não apresentará candidatura

 

 

MADRI - O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, anunciou nesta sexta-feira, 29, eleições gerais antecipadas para novembro, quatro meses antes da data programada, buscando tirar vantagem do melhora nos índices de aprovação do Partido Socialista.

 

"Eu acredito que chegou o momento de anunciar uma eleição geral... que será realizada em 20 de novembro", disse Zapatero em coletiva de imprensa nesta sexta-feira.

 

Comentaristas políticos já haviam especulado que os socialistas poderiam se aproveitar da melhora nas pesquisas de opinião e da melhora nos recentes dados de emprego para convocar uma eleição antecipada.

 

A expectativa é de que a oposição conservadora, sob liderança de Mariano Rajoy, vença a votação, mas analistas acreditam que a única questão é a margem dessa vitória.

 

A dívida espanhola está na linha de fogo dos mercados financeiros, diante de um possível rebaixamento pela agência de classificação de risco Moody's, que citou o crescimento fraco e os gastos regionais descontrolados como os principais desafios para a quarta maior economia da zona do euro.

 

"Não estou convencido de que só a eleição, mesmo se ela criar um novo governo relativamente estável, irá acalmar os mercados. O que vimos nos últimos 18 meses é que existem eventos que têm um impacto de curto prazo nos mercados", disse David Back, economista da escola de negócios IE.

 

"Os mercados provavelmente responderão de forma positiva inicialmente, até perceberem que pode não haver um plano alternativo como as pessoas esperavam."

 

Zapatero, que tem um índice baixo de aprovação, tem sido considerado um líder fraco desde que anunciou que não se candidataria novamente no início do ano, e depois que os socialistas perderam por grande margem as eleições regionais de maio.

 

O ex-ministro do Interior Alfredo Perez Rubalcaba então foi escolhido como candidato do Partido Socialista.

 

Pesquisa do Centro de Investigações Sociológicas realizada entre os dias 4 e 11 de julho deu aos socialistas, liderados por Rubalcaba, 36 por cento de aprovação, contra 43,1 por cento do Partido Popular, liderado por Rajoy. O resultado mostra que os socialistas reduziram a vantagem do PP em 3 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior realizada em abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.