Premiê espanhol diz que corrupção é exceção, e não regra

Premiê espanhol diz que corrupção é exceção, e não regra

A ministra da Saúde renunciou ao cargo após ser acusada de se beneficiar financeiramente de um suposto esquema de corrupção no qual seu ex-marido está envolvido

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2014 | 14h48

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, cujo partido está enfrentando uma série de casos de corrupção, disse que a maioria dos políticos não toma parte em tais atos ilegais e que seu governo está enfrentando a questão com seriedade.

A ministra da Saúde do país renunciou ao cargo na quarta-feira, após ser acusada de se beneficiar financeiramente de um suposto esquema de corrupção no qual seu ex-marido está envolvido. O juiz nomeou outras 43 pessoas como suspeitas, incluindo três ex-tesoureiros do partido de Rajoy, supostamente envolvidos em um esquema de financiamento ilegal para a afiliação.

Pesquisas de opinião indicam que o descontentamento dos eleitores com os numerosos casos de corrupção podem erodir o apoio aos maiores partidos políticos da Espanha nas eleições do próximo ano. Falando ao Parlamento, Rajoy admitiu que muitos dos casos afetam seu partido e pediu desculpas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhacorrupçãopremiê

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.