Premiê grego não quer convocar eleições após prisões

O primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, disse que não convocará eleições antecipadas, pois não quer colocar em perigo a estabilidade política do país após a prisão de cinco parlamentares do partido de extrema direita Amanhecer Dourado durante o fim de semana.

AE, Agência Estado

30 Setembro 2013 | 04h40

"Justiça, estabilidade, mas não eleições", disse Samaras a um grupo de repórteres após as detenções. O premiê falou na noite de domingo, antes de embarcar para uma viagem oficial para os Estados Unidos.

No sábado, a polícia grega prendeu o líder do partido Amanhecer Dourado, Nikos Michaloliakos, além de vinte membros do partido e quatro outros parlamentares. As prisões ocorreram após a morte de um artista de esquerda neste mês por um suposto apoiador do grupo.

O governo está tentando encontrar provas concretas para ligar o acusado ao assassino de fato e chamou o partido de uma organização criminosa. Já o Amanhecer Dourado negou as acusações e afirmou que o governo está tentando desviar o foco das negociações com a troica sobre um novo pacote de possíveis medidas fiscais.

Os dezoito membros do Amanhecer Dourado no Parlamento estão ameaçando renunciar aos cargos em um esforço para provocar eleições antecipadas, algo que o governo procura evitar. O partido é o terceiro mais popular na Grécia, especialmente entre os jovens.

A agência de notícias Market News International (MNI) descobriu que Samaras pediu aconselhamento jurídico detalhado sobre como interpretar a Constituição e evitar eleições nos locais onde os membros do Amanhecer Dourado foram eleitos.

Os parlamentares gregos não perdem seus direitos políticos de votar ou seus assentos no Parlamento a menos que haja uma decisão judicial final contra eles.

A MNI também descobriu que altos funcionários da UE entraram em contato com Samaras durante o fim de semana pedindo-lhe para não convocar eleições antecipadas, porque isso comprometeria os esforços do país para alcançar superávits primários e voltar ao crescimento.

Por outro lado, o principal líder de oposição, Alexis Tsipras, afirmou que o país precisa ir às urnas e decidir não só o futuro do Amanhecer Dourado, mas o futuro do próprio governo.

No domingo, a missão da troica concluiu a primeira parte de sua inspeção da economia grega e deve retornar para uma segunda rodada de negociações

no dia 15 de outubro, após reunião dos ministros das finanças do Eurogrupo em Luxemburgo. Em uma declaração da Comissão, do BCE e do FMI, a troica disse que pausou as inspeções para permitir a realização do trabalho técnico, mas acrescentou que um "bom progresso" foi feito nas negociações. Fonte: Market News International.

Mais conteúdo sobre:
gréciaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.