Premiê grego pede calma à Turquia na disputa sobre gás

O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, pediu nesta segunda-feira ao seu congênere turco, Recep Tayyip Erdogan, que tente acalmar a escalada da disputa sobre as reservas de gás natural ao largo da ilha do Chipre. Um navio turco começou a explorar o gás natural sob proteção da Marinha da Turquia.

AE, Agência Estado

26 Setembro 2011 | 17h51

Papandreou "pediu por calma e moderação" e reiterou que a República do Chipre, habitada pelos gregos cipriotas, "tem o direito de decidir o que quer fazer", afirmou o porta-voz do governo grego, Elias Mossialos.

Papandreou também alertou Erdogan que a Turquia precisa "evitar atos unilaterais", referindo-se à decisão de Ancara de retaliar da mesma maneira a decisão do governo grego cipriota de iniciar a exploração de gás natural em sua plataforma marítima.

"Ambas as partes reforçaram suas posições", disse um funcionário do escritório de Erdogan, dizendo que o premiê turco deixou clara a Papandreou a oposição da Turquia às explorações de gás pelos gregos cipriotas. Erdogan também afirmou que "medidas unilaterais tendem a ter um efeito negativo" sobre as atuais negociações para reunificar o Chipre, disse o funcionário.

A tensão cresce no Leste do Mediterrâneo desde que o governo do Chipre, reconhecido pela comunidade internacional mas não pela Turquia, assinou um acordo com a Noble Energy dos Estados Unidos, a qual começou a fazer explorações na costa ao sul do Chipre.

A Turquia assinou então um acordo com a República Turca do Norte do Chipre (TRNC, na sigla em inglês), que desde 1981 funciona como um Estado independente no norte da ilha, apenas reconhecido por Ancara, para explorar o gás natural na costa da ilha.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.