Premiê indiano negocia com ativista em greve de fome

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, apelou nesta terça-feira ao ativista Anna Hazare, que luta contra a corrupção, que abandone sua greve de fome de uma semana, oferecendo em troca pedir ao Parlamento que debata uma versão mais dura de um projeto de lei que fiscalizará de maneira mais efetiva o poder público indiano.

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 14h12

Foi a primeira tentativa de Singh chegar a um acordo político com Hazare, que levou multidões de centenas de milhares de indianos às ruas em manifestações contra a corrupção. Algumas horas mais tarde após o apelo do premiê, os assessores de Hazare, de 73 anos, iniciaram o diálogo com o ministro de Finanças, Pranab Mukherjee, que negocia pelo governo.

"As negociações são sensíveis e ninguém sabe se terão resultados", disse Kiran Bedi, um dos organizadores dos protestos contra a corrupção no governo.

Logo após o começo das negociações, Hazare apareceu na frente da multidão e fez um discurso aos partidários, dizendo que os médicos recomendaram que tomasse remédios mas que "a voz da minha consciência não me permite aceitar ajuda médica no momento".

O governo indiano marcou uma reunião com todos os partidos do Parlamento para a quarta-feira, na qual será discutido o conflito político sobre a criação de uma agência estatal que lutará contra a corrupção.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiapolíticaHazareAnna HazareSingh

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.