Premiê iraquiano acusa site WikiLeaks de sabotagem

O primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, está acusando o site WikiLeaks de tentar sabotar suas esperanças de reeleição por meio da divulgação de documentos militares secretos. Um comunicado divulgado por seu gabinete afirma que o momento da divulgação levanta dúvidas sobre se o site teria tido motivações políticas.

AE-AP, Agência Estado

23 de outubro de 2010 | 12h37

O comunicado do premiê diz ainda que os documentos não dão provas de nenhum tratamento impróprio de detidos enquanto al-Maliki esteve no comando do governo iraquiano. O comunicado afirma também que ele tem adotado uma postura rígida contra os terroristas, mas não ofereceu mais detalhes.

Al-Maliki, um xiita, tem se esforçado há sete meses por manter seu emprego após as eleições nacionais em março não terem resultado em um vencedor claro.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquetorturadocumentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.