Premiê iraquiano é derrotado nas urnas

Premiê iraquiano é derrotado nas urnas

Resultados finais das eleições iraquianas divulgados ontem deram uma vitória apertada para o candidato laico Iyad Allawi sobre o atual primeiro-ministro, o xiita Nuri al-Maliki. Os números devem levar a uma longa negociação para a formação de um novo gabinete. O premiê, porém, não reconheceu a derrota.

AP, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2010 | 00h00

O Bloco Iraqiya, de Allawi, obteve 91 assentos no Parlamento ante 89 da coalizão Estado de Direito, de Maliki. A Aliança Nacional Iraquiana, bloco xiita que mantém laços estreitos com o Irã, acabou em terceiro lugar, com 70 cadeiras. O resultado divulgado ontem corresponde a 100% das urnas. Mas o número definitivo ainda será anunciado pela corte eleitoral.

Em um sinal de diálogo, o vencedor da votação ocorrida no dia 3 prometeu estender "a mão e o coração" a todos os grupos que quiserem formar o governo. "Queremos enterrar de vez o sectarismo e o regionalismo", disse Allawi, em alusão à guerra civil entre xiitas e sunitas que tomou conta do país entre 2005 e 2007.

Maliki, contudo, não reconheceu sua derrota. "É claro que não aceitamos esse resultado", disse ele em uma coletiva. O primeiro-ministro não deu explicações sobre sua recusa.

Na última eleição parlamentar, em 2005, a violência sectária atingiu níveis dramáticos porque deputados levaram cinco meses para formar um gabinete. À época, sunitas boicotaram a eleição e acabaram sub-representados no Parlamento.

Os resultados de ontem mostram que Allawi venceu em províncias sunitas e no norte e oeste do país. Maliki levou a capital e regiões de maioria xiita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.