Premiê israelense nega julgamento por crime de guerra

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que nunca permitirá que quaisquer dos líderes ou soldados de seu país sejam julgados por crimes de guerra. Netanyahu fez os comentários hoje, durante um discurso no Parlamento israelense. Netanyahu abriu sua fala com uma investida contra um recente relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).

AE-AP, Agencia Estado

12 de outubro de 2009 | 12h39

O parecer da ONU acusa Israel e os militantes do Hamas de cometerem crimes de guerra durante uma ofensiva israelense na Faixa de Gaza, encerrada em janeiro. Segundo ele, Israel tem o direito de se defender e "não concordará" em permitir que seus líderes do período do confronto ou que as tropas envolvidas na operação sejam julgados.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelcrimes de guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.