Francesco Bellini/AP
Francesco Bellini/AP

Premiê italiano sofre revés inesperado em eleições locais

Partido Democrata, de Matteo Renzi, venceu as eleições em cinco das sete circunscrições, mas bloco de centro-esquerda teve votação abaixo do esperado

O Estado de S. Paulo

01 de junho de 2015 | 10h57

ROMA - O Partido Democrata (PD), do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, venceu as eleições locais realizadas no domingo, mas seu bloco de centro-esquerda teve um desempenho pior do que o esperado - ficou com 23% dos votos, ante os 40% que conseguiu nas últimas eleições -, e viu um aumento destacado no apoio à Liga do Norte, de centro-direita, e do Movimento 5 Estrelas, partido antiestablishment.

Com 22 milhões de italianos aptos a votar no maior teste para Renzi desde as eleições europeias do ano passado, as projeções mostram os candidatos de centro-esquerda bem à frente nas regiões centrais da Toscana e Marche e na região sul de Puglia. A centro-esquerda também obteve vantagem na Campania, ao redor de Nápoles e Umbria, um de seus redutos tradicionais.

No entanto, em uma derrota para o premiê de 40 anos, que estava acostumado a vitórias arrasadores sobre rivais políticos desde que assumiu o poder no ano passado, tudo indica que a centro-esquerda perdeu um de seus redutos, a Ligúria, onde deve vencer o candidato da coalizão de centro-direita e um dos homens de confiança do ex-primeiro ministro Silvio Berlusconi, Giovanni Toti, com 34,6%, enquanto a candidata do PD, Raffaella Paita, ficou com 27,9%.

O partido de Renzi, porém, recuperou a Campânia, onde Vicenzo di Luca deve vencer do governador em fim de mandato da centro-direita, Stefano Caldoro.

Estas eleições determinaram, além disso, um novo triunfo para o Movimento 5 Estrelas de Beppe Grillo, que em três regiões superou os 25% dos votos e se tornou o maior partido. A Liga do Norte também pode comemorar, porque não só confirmou o governador em Vêneto, Luca Zaia, apoiado por uma coalizão de centro-direita, mas também superou o Forza Itália, de Silvio Berlusconi.

Na Apúlia, a vitória foi para o candidato da centro-esquerda Michele Emiliano com 47,3%, muito acima de Francesco Schittulli, apoiado pelos dissidentes do Forza Itália, com 18% dos votos.

Em relação às chamadas regiões "vermelhas", por serem redutos históricos da esquerda, na Toscana venceu o atual presidente e candidato do PD, Enrico Rossi, e se confirmou no cargo a governadora da Úmbria, Catiuscia Marini.

Em Las Marcas, o candidato da centro-esquerda Luca Ceriscioli venceu com 41%, seguido pelo Movimento 5 Estrelas. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaMatteo Renzieleições locais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.