Premiê japonês busca estreitar relações com Mongólia

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, viajou neste sábado para a Mongólia, prometendo maior cooperação em energia e comércio. O país busca estreitar os laços com outros países da região para minimizar a dependência econômica da China. A viagem foi a primeira feita por um premiê japonês em sete anos.

Agência Estado

30 de março de 2013 | 11h40

"Eu gostaria de abrir uma nova era nas relações de Japão e Mongólia", afirmou ele em reunião com primeiro-ministro mongoliano, Norov Altankhuyag, observando que as duas nações já haviam estabelecido uma "parceria estratégia." Abe quer acelerar as negociações sobre um acordo de livre comércio. O Japão é visto como retardatário na formação de tais laços econômicos na comparação com outros concorrentes como a Coreia do Sul.

A viagem para Ulaanbaatar é a última de uma série de visitas regionais feitas pelo premiê japonês e membros do seu gabinete. Desde que assumiu o cargo, em dezembro, Abe esteve na Indonésia, no Vietnã e na Tailândia. Ele já se reuniu com o presidente norte-americano, Barack Obama, e deve visitar a Rússia em maio. Mas é notável a ausência de qualquer anúncio de viagem para Pequim, que disputa com o Japão ilhas no Mar da China Oriental.

Autoridades japonesas disseram que a visita à Mongólia não deve ser vista como "anti-chinesa", mas reforçaram as ideias de segurança e democracia. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
JapãoMongóliavisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.