Yoshikazu Tsuno/AP
Yoshikazu Tsuno/AP

Premiê japonês promete acelerar reconstrução de região atingida por tsunami

Em cerimônia de homenagem às vítimas do desastre ocorrido há um ano no país, Yoshihiko Noda afirmou que dará atenção às críticas feitas ao governo

11 de março de 2012 | 13h38

O primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, prometeu neste domingo, 11, acelerar os esforços para reconstruir a costa nordeste, um ano após ter sido devastada por um terremoto, um tsunami e um acidente nuclear. Ele também reconheceu as críticas de que as ações do governo têm sido às vezes lentas, comprometendo-se a fazer melhor no futuro. "Nós daremos atenção às críticas e consertaremos o que precisa ser corrigido", disse ele em uma coletiva de imprensa, no primeiro aniversário do tríplice desastre.

O governo do Japão tem se esforçado para chegar a uma resposta coordenada às muitas necessidades das regiões afetadas. O país criou uma agência central de reconstrução no mês passado, em uma tentativa de supervisionar os esforços de ajuda em diferentes áreas do nordeste.

 

No entanto, os parlamentares ainda não chegaram a um acordo sobre a melhor maneira de constituir uma nova agência regulatória para fiscalizar o setor nuclear - algo que estava inicialmente planejado para 1º de abril -, depois que a confiança na Agência de Segurança Industrial e Nuclear desmoronou devido ao acidente na usina Fukushima Daiichi.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãotragédiatsunamiusina nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.