Premiê japonês promete reformular seu gabinete

Partido do premiê perde 30 cadeiras no Senado japonês

Associated Press e Agência Estado,

30 Julho 2007 | 04h45

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe disse hoje que irá renovar seu gabinete de governo após a derrota nas urnas que sinalizou o descontentamento dos japoneses com seu governo. "Eu não posso ir embora, mesmo que a situação esteja difícil. Eu decidi (ficar) porque não podemos nos permitir criar um vácuo político", disse o premiê numa entrevista coletiva.   "Minha responsabilidade é realizar minha obrigação para alcançar a plena recuperação econômica", disse ele. Abe também descartou as sugestões para que convocasse eleições antecipadas para a Câmara Baixa para re-confirmar seu mandato político. Em vez disso, ele anunciou planos para reformular seu gabinete e a liderança do partido, possivelmente em setembro.   Segundo o ministério do Interior, o partido do primeiro-ministro, o Liberal Democrata (PLD), e partido aliado Novo Komeito conquistaram 46 das 121 cadeiras em disputa no Senado. Para manter a maioria, o PLD teria que ter mantido 64 senadores dos seus 76 atuais membros no Senado.   É a primeira vez desde a criação do PLD, em 1955, que o partido não tem a maioria dentro do Senado ou da Câmara dos Deputados. Após as eleições deste fim de semana, o Partido Democrático do Japão, principal opositor do PLD, conquistou 60 cadeiras e se tornou maioria no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.