Premiê japonês quer se reunir com o dalai lama

Convite pode despertar críticas da China, que considera o dalai lama um líder separatista

EFE

02 Novembro 2009 | 00h36

O primeiro-ministro japonês, Yukio Hatoyama, expressou em mensagem seu desejo de voltar a se reunir com o dalai lama, líder espiritual tibetano, após seu primeiro encontro em novembro de 2007, informa nesta segunda-feira o diário "The Japan Times".

 

A mensagem de Hatoyama foi transmitida neste domingo ao dalai lama, de visita estes dias ao Japão, por uma delegação de representantes japoneses, pois o primeiro-ministro evitou um encontro direto com o líder budista para evitar possíveis críticas do Governo chinês.

 

Durante seu primeiro encontro com o dalai lama há dois anos, quando era ainda secretário-geral do então opositor Partido Democrático (PD), Hatoyama expressou seu apoio à "autonomia" do Tibete.

 

Segundo a agência "Kyodo", a mensagem de Hatoyama poderia despertar algumas críticas da China, que considera o dalai lama e Prêmio Nobel da Paz de 1989 como um líder separatista. O dalai, que vive exilado na Índia desde 1959, agradeceu a mensagem de Hatoyama e assegurou à delegação japonesa que se sentia contente que ele seja o primeiro-ministro.

Mais conteúdo sobre:
DALAI LAMA JAPÃO TIBETE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.