Premiê propôs amenizar a lei

O líder do Kadima, Shaul Mofaz, pretende aprovar uma legislação que obrigue todos os jovens de 18 anos de Israel a prestar serviço militar, incluindo os judeus ortodoxos, atualmente dispensados. Mas o premiê israelense, Binyamin Netanyahu, propôs ontem que os religiosos radicais teriam dos 18 aos 23 anos para ingressar no Exército - segundo o jornal Haaretz. De acordo com a proposta, os religiosos que não se alistarem nessa faixa etária poderiam, em vez disso, integrar serviços policiais e de emergência. Na segunda-feira, centenas de ultraortodoxos protestaram contra a lei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.