Premiê romeno conversa com sobre a UE impeachment

O primeiro-ministro da Romênia, Victor Ponta, reúne-se nesta quinta-feira com autoridades da União Europeia (UE) em Bruxelas para explicar o impeachment do presidente romeno Traian Basescu. O bloco vem expressando preocupação com a forma com o que processo foi levado a cabo.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2012 | 09h55

Ponta prometeu implementar quaisquer recomendações dadas pela UE. Na semana passada, o Parlamento romeno, dominado por aliados do primeiro-ministro, votou pelo impeachment de Basescu, acusando-o de intrometer-se em assuntos concernentes ao primeiro ministro, além de outras irregularidades. Na segunda-feira, a Corte Constitucional do país ratificou a decisão.

O conflito entre a coalizão que governa a Romênia, de tendência esquerdista, e o presidente, político de centro-direita, surgiu devido ao fracasso de suas relações de trabalho, disse Ponta. "Basescu... Bloqueou leis feitas pela nova maioria (do Parlamento) e o governo", afirmou ele para jornalistas antes do início do encontro com Jose Manuel Barroso, chefe da Comissão Europeia, e Herman Van Rompuy, presidente da UE.

A UE expressou preocupação com o impeachment e a independência do Judiciário do país. A porta-voz do bloco, Pia Ahrenkilde Hansen, disse na quinta-feira que a organização tem "muitas questões quanto ao Estado de Direito, independência do judiciário e o papel da Corte Constitucional". "Queremos ter certeza de que a Romênia respeita a lei", disse ela.

Ponta, que é o líder do Partido Social-Democrata, tornou-se primeiro-ministro em maio. Ele foi o terceiro premiê em quatro meses, após seus dois sucessores terem deixado o cargo devido à impopularidade das mediadas de austeridade fiscal. E, ao contrário deles, que eram aliados do presidente, Ponta pôs de lado Basescu e seu partido

Na quarta-feira, a UE alertou que o tumulto político pode atrasar a entrada do país na zona Schengen, de livre circulação de pessoas. O país tenta participar desde 2007, quando foi aceito no bloco. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.