Premiê tailandês declara estado de emergência, após invasão do Parlamento

Tailândia

, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 00h00

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, declarou ontem estado de emergência na área de Bangcoc após manifestantes opositores invadirem o edifício do Parlamento, obrigando ministros a fugir de helicóptero. O anunciou foi feito após quase um mês de protestos que paralisaram o distrito comercial da cidade. Os opositores querem que o premiê dissolva o Parlamento e convoque novas eleições. A declaração de estado de emergência dá aos militares o poder de suspender certas liberdades civis e proíbe reuniões públicas de mais de cinco pessoas. "A última coisa que desejamos é que a situação fuja de controle", disse o premiê. "Fazemos isso não com a intenção de reprimir inocentes, mas para santificar a lei." A breve invasão do Parlamento, a incapacidade das forças de segurança de impedi-la e a retirada apressada dos servidores contribuíram para um crescente sentimento em Bangcoc de que o governo não detém o controle da situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.