Premiê turco acusa ONU e UE de inação no Egito

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, condenou, neste sábado, a escalada da violência no Egito, dizendo que algumas organizações, incluindo as Nações Unidas e a União Europeia, deveriam ter vergonha de sua inação.

Agência Estado

17 de agosto de 2013 | 21h06

Mais tarde, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, fez um apelo contra a onda de violência no país africano, e pediu fim aos confrontos, citando o "uso excessivo da força".

Ainda neste sábado, milhares de simpatizantes do líder deposto do Egito, Mohamed Morsi, tomaram as ruas na Turquia para denunciar "massacres" de seus partidários.

Cerca de 4 mil pessoas se reuniram em uma mesquita em Istambul gritando "Abaixo (o chefe do exército Abdel Fattah) al-Sisi" e "Morsi no poder!". Eles carregavam bandeiras do Egito, e apelaram ao mundo muçulmano para "ajudar o povo egípcio, que está sendo massacrado". As informações são da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiaviolênciaEgito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.