Premiê turco critica mídia da Alemanha

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, criticou os meios de comunicação alemães em um discurso para cerca de 15 mil pessoas no oeste da Alemanha neste sábado.

AE, Agência Estado

24 Maio 2014 | 18h17

Falando a uma multidão em uma arena esportiva em Colônia, Erdogan usou um tom duro ao dizer que jornalistas alemães haviam conspirado com publicações contra o governo da Turquia ao retratar uma imagem imprecisa do desastre na mina de Soma, que deixou mais de 300 mortos no início neste mês.

"Alguns meios de comunicação aqui [na Alemanha] começaram imediatamente a caluniar após o acidente em Soma, tentando se beneficiar dele", disse Erdogan. "Vale ressaltar que alguns meios de comunicação em nosso país estavam em coordenação com eles".

Erdogan estava em Colônia para celebrar o 10º aniversário de uma organização com ligações ao partido governante AKP, de Erdogan. Mas muitos dizem que ele estava no local para angariar apoio para o AKP antes das eleições presidenciais, previstas para agosto. Há expectativas de que o premiê concorrerá ao cargo, embora a candidatura não tenha sido oficializada.

Uma mudança na lei em 2012 permite que turcos que vivem no exterior votem pela primeira vez nas eleições nacionais. Com cerca de dois milhões de habitantes vindos da Turquia, a Alemanha é o lar de uma das maiores diáspora turcas do mundo.

A visita de Erdogan aumentou as tensões entre a Alemanha e o governo da Turquia. Políticos alemães, incluindo o presidente Joachim Gauck, criticaram recentemente o que consideraram uma posição autoritária de Erdogan. O governo turco também tem sido alvo de críticas pesadas na mídia alemã devido à repressão das autoridades contra protestos ocorridos após o desastre na mina de Soma, em 13 de maio.

Na semana passada, a revista semanal alemã Der Spiegel disse que foi forçada a retirar um correspondente da Turquia depois de receber ameaças de morte. Segundo o jornal, o jornalista era alvo de retaliação após publicar um artigo sobre o desastre de mineração na Turquia.

O discurso do primeiro-ministro turco também ocorreu em meio às eleições para o Parlamento Europeu. Os alemães devem ir às urnas no domingo para eleger os membros do Parlamento, assim como representantes para alguns escritórios regionais. Erdogan disse, sobre o tema, que não se pode desviar votos nas eleições para o Parlamento Europeu ao atacá-lo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Turquia Alemanha Críticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.