Premier australiano prepara explicação para guerra

O primeiro-ministro conservador da Austrália, John Howard, iniciou uma campanha final para persuadir os australianos da necessidade de um ataque liderado pelos Estados Unidos para desarmar o Iraque, enquanto se consolida - segundo pesquisas - a oposição a um conflito sem o aval da ONU. Subiu para 59% a oposição entre os australianos a qualquer ataque unilateral contra Bagdá, o nível mais alto nos últimos seis meses. Howard, que em janeiro enviou ao Golfo Pérsico 1.000 soldados, além de aviões e navios, para se unirem às tropas americanas e britânicas, anunciou que apresentará amanhã, no Clube Nacional de Imprensa, as razões de seu governo para participar de uma guerra. "O mundo nunca tinha operado em bases semelhantes", argumentou hoje o premier, interpretando que existe justificativa suficiente, nas 17 resoluções já aprovadas no Conselho de Segurança sobre o Iraque, para se lançar uma guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.