Premier da França comemora libertação de jornalistas

O primeiro-ministro da França, Jean-Pierre Raffarin, comunicou pessoalmente ao Senado que dois jornalistas franceses que haviam sido seqüestrados no Iraque, há quatro meses, foram libertados. "Tenho a profunda alegria de anunciar que Christian Chesnot e Georges Malbrunot acabam de ser libertados pelo Exército Islâmico", disse. Os senadores irromperam em aplausos.O porta-voz da chancelaria francesa, Herve Ladsous, disse que ambos são esperados na França amanhã. Eles foram entregues a autoridades francesas em Bagdá, disse o porta-voz. O irmão de Chesnot, Thierry, disse a jornalistas que os dois jornalistas estão em bom estado de saúde, e se referiu à soltura do irmão como "o melhor presente de Natal". O premier Raffarin afirmou que a libertação foi fruto de "trabalho constante, discreto e difícil", e elogiou a coragem "desses dois homens que sofreram longos meses em condições adversas".O destino dos jornalistas eletrizou toda a França. Alguns jornais mantinham colunas contando o tempo de cativeiro. Atrizes famosas, como Catherine Deneuve e Juliette Binoche, gravaram clipes de rádio com apelos sobre a crise. Fotos dos dois homens forma penduradas na prefeitura de Paris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.