Premier da Hungria anuncia renúncia por falta de apoio

O primeiro-ministro da Hungria, Ferenc Gyurcsany, anunciou neste sábado que está renunciando ao cargo por conta da baixa popularidade de seu governo, em meio à piora da crise financeira. O líder do Partido Socialista disse que se considera um obstáculo a novas reformas econômicas e sociais.

AE-AP, Agencia Estado

21 de março de 2009 | 09h57

"Eu tenho ouvido que sou um obstáculo para a cooperação e a maioria estável do governo necessárias para implementar mudanças", disse Gyurcsany a membros do seu partido. "Se é assim, eu elimino esse obstáculo." Ao invés de antecipar eleições, os legisladores devem escolher um novo premiê em substituição até as eleições parlamentares previstas para meados de 2010.

Gyurcsany afirmou que notificará oficialmente o parlamento de sua decisão na segunda-feira e pediu um novo encontro de seu partido em duas semanas para escolher um candidato para comandar um novo governo. "Eu proponho formar um novo governo com um novo primeiro-ministro", disse ele, acrescentando que estava mantendo a promessa feita em janeiro de 2008 sobre mudanças na liderança se a popularidade do partido não se recuperasse. "Um ano se passou. O apoio a nós não cresceu. Ao contrário, diminuiu."

Ainda não está claro se um candidato a novo primeiro-ministro viria do Partido Socialista, de outro partido ou independente. Gyurcsany tornou-se primeiro-ministro em 2004 e venceu a reeleição em 2006. Ele tem lutado para manter maioria no parlamento desde 2006, em meio à deterioração das condições econômicas. A Hungria foi duramente atingida pela crise financeira global e recebeu um empréstimo de US$ 25,1 bilhões do Fundo Monetário Internacional e outras instituições.

Tudo o que sabemos sobre:
Hungriaprimeiro-ministrorenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.