Premier de Israel não inclui na reunião de governo investigação sobre guerra no Líbano

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, ao contrário do esperado, não incluiu na ordem do dia da reunião de domingo do governo um debate sobre que tipo de organismo investigará os erros cometidos no conflito com a milícia xiita libanesa Hezbollah. O Conselho de Ministros se reúne todos os domingos, após a jornada de descanso sabático em Israel. A rádio pública informou que Olmert deseja prosseguir com as consultas que começou na noite de sábado antes de decidir se ordena uma investigação oficial sobre os erros e o comportamento do governo antes e durante o conflito, ou se encomenda a tarefa a um organismo independente, de caráter judicial. Antes de começar a reunião com seus colaboradores, Olmert se reuniu com os ministros de seu partido, o Kadima, a fim de consultá-los sobre como proceder. As opções são uma investigação oficial, cujos membros seriam designados por Olmert, e outra judicial, que seria presidida por umjuiz do Tribunal Supremo que poderia ordenar uma investigação judicial de membros do governo e das Forças Armadas. Dezenas de reservistas fizeram uma manifestação em frente à sede do governo. Os manifestantes, reservistas, ativistas políticos e desabrigadospelos ataques do Hezbollah, do norte do país, exigiram a investigação judicial, e outros pediram a renúncia de Olmert, do ministro daDefesa, Amir Peretz, e do chefe das Forças Armadas, general Dan Halutz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.