Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Premier de Luxemburgo pode concorrer com Blair na UE

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, mostrou-se interessado em ser o primeiro presidente da União Europeia (UE). "Se eu for chamado, não teria razão para me recusar a ouvir, contanto que haja ideias ambiciosas para o posto, respaldando-o", afirmou ele, em uma entrevista ao jornal francês "Le Monde", publicada hoje. Os comentários de Juncker, o líder da UE há mais tempo no poder, colocam-no ao lado do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair na corrida pelo novo cargo. O bloco pretende que essa função substitua o atual esquema de presidência rotativa.

AE, Agencia Estado

27 de outubro de 2009 | 12h33

O emprego ainda não existe, já que o Tratado de Lisboa, que o cria, precisa ainda ser confirmado pelos 27 países do bloco. Juncker também é ministro das Finanças de Luxemburgo e comanda o grupo de 16 nações que utilizam o euro como moeda. Ele disse que não se opõe a Blair pessoalmente, mas acredita que a presidência da UE deveria estar com um país profundamente ligado ao bloco.

A Grã-Bretanha não quis aderir ao euro nem ao Acordo de Schengen, uma área de livre circulação de pessoas. "Eu não estou minimizando áreas em que o Reino Unido tem sido uma verdadeira inspiração para a Europa nos últimos anos", disse Juncker. O primeiro-ministro também lembrou que Bélgica, Luxemburgo e Holanda integraram o chamado Benelux, considerado o embrião da UE.

Lobby

Blair foi primeiro-ministro britânico entre 1997 e 2007. Ele motivou divisões na Europa por defender a Guerra do Iraque e ainda não se declarou um candidato ao cargo, com mandato de dois anos e meio, prorrogável por uma vez. Ontem, o secretário de Relações Exteriores britânico, David Miliband, fez um lobby por Blair durante um encontro com colegas europeus em Luxemburgo.

O jornal britânico "The Guardian" divulgou hoje que o primeiro-ministro Gordon Brown pediu a dois de seus altos auxiliares que trabalhem pelo nome de Blair, com discrição, a fim de garantir que ele fique com o cargo. Um encontro da UE será iniciado na quinta-feira, onde o tema deverá ser discutido. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
UEpresidênciaLuxemburgoTony Blair

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.