Premier do Líbano pede cessar-fogo

O primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, pediu neste sábado um cessar-fogo imediato sob o patrocínio da ONU,e que a comunidade internacional ajude o Líbano a estender sua soberania ao sul do país, controlado pela guerrilha do Hezbollah.Siniora responsabilizou Israel pelas perdas econômicas e humanas causadas no Líbano pelos ataques israelenses, e pediu ajuda árabe e internacional para reconstruir o país. Os países da Liga Árabe consideram que o processo de paz para o Oriente Médio "fracassou" e pedem a intervenção direta do Conselho de Segurança da ONU para pôr fim aos ataques israelenses no Líbano e na Faixa de Gaza. Essa posição foi expressada pelo secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa, em entrevista coletiva. Os ministros, embora tenham criticado implicitamente o Hezbollah por "falta de consultas" com o governo libanês, pediram que Israel ponha fim imediatamente a seus ataques no Líbano. O objetivo é começar as negociações "sobre uma troca de prisioneiros", disse o ministro de Assuntos Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, Hussein al-Shaali."Decidimos começar de novo desde o princípio e remeter todo o assunto (conflito) ao Conselho. A ONU deve estudar o caso, que estava nas mãos de um patrocinador que abandonou sua neutralidade", acrescentou Moussa em alusão aos EUA.O presidente da Liga Árabe disse que no encontro no Cairo se decidiu pedir uma "reunião ministerial, ou em nível mais alto, do Conselho de Segurança, provavelmente em setembro", para tratar do conflito árabe-israelense.O principal responsável da Liga Árabe alertou que "a atual situação no Oriente Médio é muito perigosa e ameaça a segurança em toda a região".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.