Premier do Timor fica no poder; Ramos-Horta renuncia

O partido governante do Timor Leste concordou em manter o primeiro-ministro Mari Alkatiri, desafiando um pedido feito pelo presidente para que Alkatiri renunciasse. Com isso, o ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1996, José Ramos-Horta, que era ministro da Defesa e de Relações Exteriores, decidiu deixar o cargo. A saída de Ramos-Horta agrava a crise no país, que vem sendo palco de violentas manifestações de rua."Decidi deixar o governo até que um novo governo se forme", disse Ramos-Horta, citado por um porta-voz. "Estou pronto a servir a nação em qualquer capacidade". A Fretilin, partido no poder, realizou uma reunião de emergência neste domingo e informa que o premier Alkatiri aceitou um apelo do comitê dirigente para permanecer à frente do governo. A renúncia de Alkatiri havia sido requisita pelo presidente Xanana Gusmão. O premier é acusado de estar por trás da onda de violência que afeta a capital há semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.