Premier espanhol e oposição buscam unidade contra o ETA

Primeira reunião em seis meses termina com promessa de diálogo bilateral

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

O governo espanhol e o principal partido da oposição deram nesta segunda-feira, 11, um primeiro passo rumo à unidade contra o ETA, depois de o grupo separatista basco ter suspendido uma trégua na semana passada. O primeiro-ministro, José Luis Rodríguez Zapatero, e o líder do Partido Popular (PP), Mariano Rajoy, reuniram-se pela primeira vez em seis meses. "Na luta contra o terrorismo, a discrepância não pode ser instrumentalizada para que os terroristas se beneficiem... vamos trabalhar nisso e acredito que foi dado um passo muito importante com essa reunião", disse na segunda-feira a vice-primeira-ministra, María Teresa Fernández de la Vega. Durante quase duas horas os dois líderes, que se cumprimentaram com frieza depois de Zapatero não ter descido as escadas para receber o convidado, discutiram a promessa do ETA de retomar sua atividade "em todas as frentes" após interromper o cessar-fogo permanente declarado em março de 2006. Zapatero ofereceu a Rajoy manter o diálogo bilateral entre ambos e entre o governo e a oposição, assim como reuniões do ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, com representantes de todas as forças políticas democráticas. Rajoy declarou à imprensa ao deixar da reunião que sua posição em relação ao ETA não tinha mudado depois do fim da trégua - ele ofereceu seu apoio ao Executivo para derrotar o grupo armado, mas não para negociar. "Não é hora de censurar (...) O que importa hoje é que os espanhóis têm sido ameaçados, porque acima de tudo está nossa segurança e o direito a viver livre de ameaças e coações", disse o dirigente do PP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.