Premier indiano defende troca cultural e comercial com Paquistão

O primeiro-ministro indiano, Atal Bihari Vajpayee, conclamou hoje o vizinho Paquistão a aceitar que a disputada província da Caxemira é parte integral da Índia e a prosseguir com o estreitamento das relações comerciais e culturais entre os dois países. "Deixem que os nossos dois países concordem em promover as relações comerciais e econômicas, reforçar os laços culturais e aumentar os contatos entre os dois povos", disse Vajpayee na mensagem de ano-novo, divulgada a partir de um hotel no Estado de Goa, onde o premier indiano se encontra passando férias. "O Paquistão não pode combater o extremismo religioso e se modernizar se permanecer numa posição de permanente confronto com a Índia", prosseguiu Vajpayee. Em sua mensagem, Vajpayee afastou a possibilidade de um reatamento imediato do diálogo com o Paquistão para reduzir as tensões entre os dois países, após dez meses de disputas militares agravadas por um ataque ao Parlamento indiano há cerca de um ano. À época, a Índia responsabilizou os serviços secretos paquistaneses e dois grupos militantes com base no Paquistão pelo ataque, que causou 14 mortes, acusação que foi desmentida por Islamabad e pelos dirigentes da guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.