Premier iraquiano anuncia novo plano de segurança em Bagdá

As forças de segurança iraquianas planejam distribuir dezenas de milhares de soldados em Bagdá na quarta-feira como parte do ambicioso plano do premier Nouri al-Maliki para restaurar a segurança na capital.O primeiro-ministro afirmou no mês passado que havia definido um plano para restaurar a ordem na cidade, de seis milhões de habitantes, que sofre com atentados suicidas, explosões em estradas e esquadrões da morte. Contudo, Al-Maliki teve de concentrar seus esforços por semanas na resolução de um impasse político entre os partidos iraquianos sobre a nomeação dos ministros da Defesa, do Interior e da Segurança Nacional. Com os novos ministros finalmente em seus postos, al-Maliki afirmou, por meio de um comunicado emitido na terça-feira, que está pronto para colocar seu plano em prática dentro dos próximos dois dias. O PlanoO ministro xiita disse que o plano inclui o reforço da segurança nas estradas dentro e fora de Bagdá, a proibição do porte de armas e a implementação de um toque de recolher entre as 9 da noite e as 6 da manhã. O major general Mahdi al-Gharrawi, comandante das forças de segurança pública sob o Ministério do Interior, disse que o plano será implementado às 6 horas da manhã de quarta-feira (horário local). Segundo ele, 75 mil soldados iraquianos e das forças multinacionais serão distribuídos na capital, a maior operação do gênero desde que os EUA entregaram o comando aos iraquianos em junho de 2004. Al-Gharrawi também advertiu que os insurgentes devem intensificar suas atividades como represália pela morte do líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi. O general informou que os soldados podem pedir reforço aéreo caso seja necessário. "Esperamos que os confrontos aconteçam nas áreas predominantemente xiitas", disse.Os iraquianos reclamam de violência gratuita e prisões injustificadas pelas forcas iraquianas, especialmente a polícia, cujos agentes, segundo denúncias, fazem parte de esquadrões da morte. O governo também indicou planos de introduzir um uniforme único para distinguir as forças de segurança legítimas. Al-Gharrawi informou que os uniformes devem ser implementados em alguns dias. "Haverá um uniforme especial e distintivos para serem colocados em veículos, como um sinal de que pertencem às nossas forças", afirmou o general. O brigadeiro do exército iraquiano, Jalil Khalaf também informou que o plano inclui a implementação de mais barreiras policiais e operações contra esconderijos de insurgentes. "Os terroristas não poderão enfrentar tamanho poder", conclui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.