Premier iraquiano desmente libertação de mulheres

O premier interino do Iraque, Ayad Allawi, negou que seu governo tenha decidido libertar prisioneiras iraquianas, atendendo às exigências do grupo terrorista Monoteísmo e Guerra Santa, que já decapitou dois reféns americanos e ameaça matar um britânico para tentar impor suas condições. Desautorizando um anúncio feito pelo próprio governo do Iraque, Allawi disse em entrevista à Associated Press que nenhuma decisão do tipo foi tomada."Não mantivemos e não manteremos negociações com terroristas para a libertação de reféns", disse o primeiro-ministro. Os terroristas exigem que todas as mulheres muçulmanas iraquianas sob custódia dos Estados Unidos sejam soltas.Os EUA dizem que as únicas mulheres nessa situação são Rihab Rashid Taha, uma cientista conhecida como "Doutora Germe" por seu trabalho em armas biológicas, e Huda Salih Mahdi Ammash, bióloga apelidada de "Senhora Antraz".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.