Premier iraquiano prevê saída de forças dos EUA em 3 anos

O presidente do Iraque, Jalal Talabani, disse nesta quinta-feira que a saída do contingente militar internacional de seu país poderia acontecer em três anos, prazo para que as Forças Armadas iraquianas possam que garantir a segurança do território. Talabani participou de uma conferência no Instituto de Relações Internacionais, em Paris, dentro de sua visita oficial à França, que terminará na sexta-feira e na qual se reunirá com diferentes personalidades como o presidente francês, Jacques Chirac. Na conferência, o presidente iraquiano disse que "dois ou três anos poderiam ser suficientes para reconstruir nossas forças e dizer adeus e obrigado a nossos amigos", em referência aos países cujas tropas estão no Iraque desde a queda do regime de Saddam Hussein. Previsão A previsão de Talabani acontece no momento em que os EUA, que tem cerca de 150 mil soldados no Iraque, discute sua presença no país e os riscos dos constantes atos de violência em território iraquiano. Talabani não quis passar uma imagem otimista sobre a atual situação no Iraque, mas negou que seja possível falar em guerra civil. Segundo o presidente do Iraque, os atentados e confrontos podem ser interpretados como ações de "grupos e extremistas que não refletem o espírito da grande maioria dos iraquianos". Por isso, incentivou que outros países colaborem e se integrem no contingente internacional. "Quem quiser vir combater o terrorismo é bem-vindo", disse. Talabani também afirmou que a França foi um dos Estados que manifestou mais claramente sua rejeição à intervenção militar em 2003. "Os valores do novo Iraque são os da fraternidade, da liberdade e da igualdade", disse, em referência ao lema da Revolução Francesa. No entanto, acrescentou que, sem a intervenção militar de três anos atrás, "não estaria aqui hoje como presidente, mas talvez como refugiado". Talabani busca pedir na França ajuda para a reconstrução da economia nacional e das instituições políticas do Iraque. Os ministros de Exteriores, Educação, Indústria e Ciência e Tecnologia iraquianos acompanham Talabani nesta visita de dois dias, e se reunirão com as autoridades francesas correspondentes para explorar diversas vias dessa possível ajuda.

Agencia Estado,

02 Novembro 2006 | 12h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.