Premier israelense critica ida do Hamas à Rússia

As conversas do governo Russo com líderes do Hamas em Moscou prejudicam os esforços mundiais para isolar o grupo islâmico, que está organizando o novo governo palestino. Foi o que disse o primeiro-ministro de Israel em exercício, Ehud Olmert, ao presidente Russo, Vladimir Putin, neste domingo. Ehud Olmert afirmou que foi um erro convidar líderes do Hamas para conversas, antes que o grupo mude suas políticas e aceite as reivindicações de reconhecer Israel e renunciar a violência. O Hamas está organizando um novo ministério palestino, depois de participar das eleições parlamentares em janeiro e derrotar a Fatah, que permanecia no poder há quatro décadas. Mesmo com as objeções de Israel, os líderes do grupo islâmico estiveram em Moscou neste fim de semana e encontraram-se com o ministro das relações exteriores russo. O presidente Putin, porém, não concordou em recebê-los, mas disse, em conversa com Olmert, que a política da Rússia é de negociar com ambos os lados. O primeiro-ministro israelense discorda: Para ele, as relações da Rússia com o Hamas desencorajam o grupo a adotar as mudanças exigidas pela comunidade internacional.

Agencia Estado,

05 Março 2006 | 15h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.