Premier macedônio culpa EUA e Alemanha

O primeiro-ministro macedônio Ljubco Georgevski acusou hoje o Ocidente de não ter feito o suficiente contra o "terrorismo" albanês, responsabilizando por isto especialmente os EUA e a Alemanha. "Ninguém aqui na Macedônia está convencido de que os governos dos EUA e da Alemanha não sabem quem são os chefes do terrorismo e (acham que), se o quisessem, estes países poderiam colocá-los sob controle", disse o governante à imprensa em Skopje. "Há mais de um mês estamos enfrentando uma nova agressão que vem de Kosovo; os meios de comunicação ocidentais sustentam que se trata de um problema entre albaneses da Macedônia e macedônios, mas isto é absolutamente falso", acrescentou Georgevski. Ao mesmo tempo, o partido do primeiro-ministro declarou hoje que "não pensamos em impulsionar um diálogo com os extremistas armados que, para nós, continuam sendo terroristas". Igor Gvieski, porta-voz do partido Vmro-Dpmne, com 45 deputados de um total de 120 do Legislativo macedônio, excluiu qualquer hipótese de mudanças constitucionais, como pediu no sábado o bloco de partidos albaneses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.