Premier russo pede calma após prisão de magnata

O primeiro-ministro russo, Mikhail Kasyanov, disse que os investidores não devem se assustar pela prisão do magnata do petróleo, Mikhail Kordokovsky, vista por alguns como um sinal de que o Kremlin tinha se tornado mais autoritário, antes das próximas eleições de dezembro. "Não há razão para pânico", disse Kasyanov.Os mercados russos se recuperaram hoje, depois de uma queda de 10% na Bolsa de Valores no dia anterior. Khordokovsky, o homem mais rico da Rússia e presidente da gigantesca petrolífera Yukos, foi preso no sábado na Sibéria e levado a Moscou, acusado de fraude e evasão de impostos.O presidente russo, Vladimir Putin, disse na segunda-feira que não vai se envolver no caso judicial contra o magnata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.