Premier tailandês propõe dissolução do Parlamento

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, anunciou hoje que pretende dissolver o Parlamento em setembro. Com isso, abre caminho para novas eleições, exigidas por manifestantes contrários ao governo. Agora, Abhisit espera que os eles interrompam seus protestos em Bangcoc. Os manifestantes, porém, esperam antes a oficialização de uma data para a dissolução do Parlamento.

AE-AP, Agência Estado

06 Maio 2010 | 12h52

Abhisit revelou, na segunda-feira, um plano de reconciliação e propôs a realização de eleições em 14 de novembro, quase um ano antes do fim de seu mandato. A condição é que os manifestantes abandonem seus acampamentos na capital do país.

Os opositores, conhecidos como Camisas Vermelhas, elogiaram o plano. Eles consideram o atual governo ilegítimo. A paralisação na capital atrapalha o turismo e paralisa parcialmente o governo. Os confrontos entre manifestantes e policiais já deixaram 27 mortos e quase mil feridos.

Mais conteúdo sobre:
Tailândia crise dissolução Parlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.