Presença dos EUA desestabiliza Iraque, diz líder do Egito

O presidente do Egito, Hosni Mubarak,afirmou na segunda-feira que a presença de militares dosEstados Unidos e de outros países no Iraque atrai terroristas eameaça a segurança e a estabilidade da região, afirmou aagência egípcia de notícias Mena. Mubarak, que antes havia defendido a permanência das forçasnorte-americanas no Iraque para impedir o país de mergulhar nocaos, deu essas declarações diante de editores de jornaisegípcios ao voar em seu avião para Abu Dhabi, nos EmiradosÁrabes Unidos. "O presidente Mubarak alertou sobre os perigos relacionadosà continuidade da presença norte-americana no Iraque", afirmoua Mena, uma agência oficial. "Ele disse que a presença das forças norte-americanas e deoutros países no Iraque atrairia terroristas de todas as partese ameaçaria a segurança e a estabilidade da região",acrescentou a agência. A Mena não citou as palavras de Mubarak e nem divulgoumaiores detalhes. Tampouco disse explicitamente que o líder doEgito defendia uma retirada norte-americana. O porta-voz deMubarak não foi encontrado para manifestar-se sobre o assunto. O governo egípcio opôs-se à invasão norte-americana doIraque em 2003. No entanto, após a derrubada do presidenteSaddam Hussein pelas forças dos EUA, Mubarak disse que ossoldados norte-americanos deveriam continuar lá a fim degarantir a retomada da lei e da ordem. O Egito, além disso, deu apoio à decisão do governo dos EUAde enviar mais soldados para a região de Bagdá, no ano passado,afirmando esperar que o plano fortalecesse o governo iraquiano. (Texto de Jonathan Wright)

REUTERS

11 de fevereiro de 2008 | 14h36

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOEUAIRAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.