Presença japonesa no Iraque preocupa a China

Sempre atenta a qualquer atividade militar do Japão, a China expressou preocupação com o envio de tropas japonesas ao Iraque e conclamou Tóquio a assegurar que não contribuirá para corroer a confiança mútua na Ásia. A chegada de soldados japoneses no Iraque, ontem, marcou a primeira vez em que tropas japonesas entram em uma área de conflito desde a Segunda Guerra Mundial, quando um Japão imperial ocupou brutalmente a China."Expressamos nossa preocupação com este fato", disse o porta-voz da Chancelaria chinesa, Kong Quan, em uma entrevista à imprensa. Kong conclamou o Japão a respeitar sua política de usar o poder militar apenas para a autodefesa, afirmando que "apenas isso vai de encontro com a paz mundial e a estabilidade na região (asiática)".O Japão enviou um grupo avançado com 30 soldados ao Iraque e planeja despachar outros 1.000 até março. O grupo realizará trabalhos que não estarão ligados diretamente às batalhas. O envio de tropas ao Iraque é também criticado no Japão, onde pesquisas mostram que muitos japoneses vêem a missão como perigosa demais, ou como desrespeito à Constituição pacifista adotada pelo país no pós-guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.